Após sofrer perseguição e calúnia, Pe. Adelino deixará Paróquia de Alhandra

O Padre Adelino dos Santos anunciou neste domingo (10) durante a missa que deixaria a Paróquia de Nossa Senhora da Assunção em Alhandra a disposição do Bispo. O anuncio do Padre pegou alguns fieis de surpresa e outros nem tanto. O Padre Adelino fez um discurso onde externou os motivos que o fizeram tomar essa decisão.

Francisco Adelino dos Santos, conhecido como Padre Adelino nasceu em Belém, Paraíba, no dia 12 de abril de 1949, é padre católico e político brasileiro. É formado em Pedagogia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), com especialização em Administração Escolar e pós-graduação em Educação, pelo Instituto Superior de Educação de Londrina, no Paraná. É mestre em Antropologia Teológica pela Universidade de Roma, na Itália.

O Padre Adelino está a seis meses na Paroquia de Alhandra, foi transferido pois o Padre Jairo havia sido transferido para outra Paróquia em João Pessoa. Nos seis meses em que esteve a frente da Paroquia, o Padre Adelino realizou diversas missas, procissões, fez visitas as comunidades católicas na zona rural e organizou muitos afazeres da igreja.

Nos últimos meses alguns fiéis começaram um movimento pedindo a saída imediata do Padre. O grupo de fiéis foram varias vezes na Cúria da Igreja Católica em João Pessoa para pedir ao Bispo para que o Padre fosse transferido. A justificativa dos fiéis que não aceitavam o Padre era que o mesmo atuava rude com os fiéis, havia desfeito os conselhos e “espantado” muitos.

Baseado nessas afirmações, esse grupo contrário ao Padre fez movimentos, cartas, reuniões e motivou uma baixa no numero de fiéis em algumas missas. A ideia era forçar a renúncia ou transferência do Padre Adelino. Ainda no mês de abril, um representante do Bispo esteve na Paroquia de Alhandra e conversou com muitos fiéis a favor do Padre e os contrários ao Padre. Até aquele momento a transferência do Padre era sem fundamento.

No último sábado (9) circulou nas redes sociais um relato de uma possível agressão verbal que o Padre Adelino teria proferido contra o Bispo. Tal carta assinada por um personagem fictício chamado de Arnóbio, relatava uma discussão entre o Padre e o Bispo; ambas as partes negam a discussão e relatam uma conversa calorosa onde ambos expuseram suas opiniões. Durante essa conversa o Padre teria entregado a Paroquia ao Bispo para que um novo Padre assuma.

Baseado nessas afirmações, esse grupo contrário ao Padre fez movimentos, cartas, reuniões e motivou uma baixa no numero de fiéis em algumas missas. A ideia era forçar a renúncia ou transferência do Padre Adelino. Ainda no mês de abril, um representante do Bispo esteve na Paroquia de Alhandra e conversou com muitos fiéis a favor do Padre e os contrários ao Padre. Até aquele momento a transferência do Padre era sem fundamento.

No último sábado (9) circulou nas redes sociais um relato de uma possível agressão verbal que o Padre Adelino teria proferido contra o Bispo. Tal carta assinada por um personagem fictício chamado de Arnóbio, relatava uma discussão entre o Padre e o Bispo; ambas as partes negam a discussão e relatam uma conversa calorosa onde ambos expuseram suas opiniões. Durante essa conversa o Padre teria entregado a Paroquia ao Bispo para que um novo Padre assuma.

Os fiéis agora esperam uma decisão do Bispo para conhecer o novo Padre para comandar os trabalhos na Paróquia Nossa Senhora da Assunção. Apesar da indefinição, o Padre Adelino segue conduzindo os trabalhos na Paróquia até a chegada do novo Padre.


Com Portal do Litoral
Share on Google Plus

Postado por: Revista Novo Perfil

“O Mundo não lembra dos que não se fazem lembrar”. Anuncie Conosco. Contato: TIM (83) 999-386-921 E-mail: revistanovoperfil@hotmail.com
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário