Bezerra nasce com duas cabeças em fazenda de MT e surpreende produtor

Fazendeiros de um assentamento na região de Comodoro, município a 677 quilômetros de Cuiabá, foram surpreendidos na última quinta-feira (16) pelo nascimento de uma bezerra com duas cabeças. A filhote veio ao mundo com um corpo normal, mas com a estrutura facial “duplicada”, portando quatro olhos, dois focinhos e uma capacidade de sobreviver à anomalia que desconcertou criadores e veterinários.

Zilda Vieira de Paula, dona do sítio localizado no assentamento Macuco (a 22 quilômetros do centro de Comodoro), contou que a bezerrinha foi parida sem acompanhamento. “A vaca estava em outro pasto, mais longe, e ninguém estava lá. Ela veio andando normalmente com a mãe. Quando vimos, percebemos que tinha dois crânios”, relatou.

Há 18 anos na região onde possui 13 alqueires de terra onde cria vacas leiteiras, a produtora explicou que, dos quatro olhos da bezerra, dois estão localizados onde seria a junção das duas estruturas cranianas que se formaram desde o embrião. Após o primeiro dia eles deixaram de se movimentar, mas os demais, localizados nas laterais, continuam servindo muito bem ao animal, que também anda sem dificuldades.

“De frente, ela pode ter essa má formação, mas no resto ela é normal e faz tudo. Ela mama, mas mama bastante, uns quatro litros de leite por dia. E pelas duas bocas”, entusiasmou-se a fazendeira, agora empenhada a fazer o possível para que a filhote viva ao máximo.

Anomalia
Quem divide com Zilda a surpresa pela sobrevivência do animal é o veterinário Juliano Jonk, que já examinou a filhote e constatou que ela está 100% sadia.

“É muito raro isso acontecer. Ela se alimenta bem até com as duas bocas, o que é muito interessante, e também caminha normalmente. Não é a primeira vez que eu vejo, mas todos com esse tipo de anomalia não costumam resistir. Ela não está sofrendo, está bem e seus olhos laterais são perfeitos”, informou o veterinário.

Ele esclareceu que a anomalia deste caso é conhecida como diprosopia. Esta mutação genética, durante a formação do embrião, resulta na duplicidade da região cefálica e das estruturas faciais.
De qualquer modo, a bezerra já virou foco de atenções da região. Novamente, segundo Zilda Vieira, dona da propriedade onde a filhote se encontra, desde o nascimento várias pessoas da comunidade rural têm se deslocado só para ver de perto o animal, para o qual alguns já estão até escolhendo apelido. Uma das sugestões é “Fanta”, devido ao nome da vaca que lhe deu à luz: Tubaína.

Revista Novo Perfil on line
Fonte: G1 MT
Fotos: Juliano Jonk e Mário Lourenço da Silva França

Share on Google Plus

Postado por: Revista Novo Perfil

“O Mundo não lembra dos que não se fazem lembrar”. Anuncie Conosco. Contato: TIM (83) 999-386-921 E-mail: revistanovoperfil@hotmail.com
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário